mai
24
2011

Aula de pegação

Como é o curso, criado por Richard La Ruina, um inglês e recém-chegado por aqui, que ensina técnicas de sedução para homens. Seu livro “The natural art of seduction” que será publicado pela Editora Sextante.

Os cariocas Fernando Mello e Guilherme Malaquias dão o treinamento no Brasil: método foi criado por um ex-nerd que fatura R$ 4 milhões ao ano e diz ter feito sexo com pelo menos cem mulheres

Às 19h de uma sexta-feira chuvosa, a aula começa por uma apresentação informal. No canto de um hotel em Botafogo, um rapaz cabeludo e com pinta de roqueiro diz:

— Quero melhorar a minha dinâmica social.

Em seguida, um gordinho desastrado pede a palavra:

— Eu quero adquirir novas ferramentas para ampliar meu campo de relacionamento.

Na continuação, é vez de um mauricinho boa-pinta:

— Quero sair da zona de conforto.

Até o décimo aluno da turma, formada por homens de 19 a 40 anos que pagaram R$ 1.200, cada, para estar ali, ninguém fala que está, pura e simplesmente, querendo aprender a conquistar mulheres, embora seja este o objetivo final do curso. A proposta de ensinar a marmanjos táticas de paquera é da PUA Training (abreviação de Pick Up Artist, que em bom português significa artista da pegação), empresa criada em 2007 pelo ex-nerd inglês Richard La Ruina, o Gambler, sujeito que só beijou a primeira garota aos 21 anos. Aos 30, ele fatura R$ 4 milhões ao ano com livros, DVDs e palestras que difundem suas teorias.

As aulas de sedução são dadas aqui pelo carioca Fernando Mello, o Fênix, de 34 anos, promoter de antigas boates como People e W. Entusiasta da arte da sedução, ele conheceu Gambler, que já sonhava em visitar o Brasil, pelo Facebook. Em fevereiro, quando o inglês veio ao país pela primeira vez, com a proposta de propagandear seu método, Fênix foi seu anfitrião. Hoje, o carioca é o representante nacional da PUA Training. Para dar mais credibilidade ao processo, convidou o amigo Guilherme Malaquias, de 32, médico especializado em Psiquiatria e Sexualidade, para fazer consultoria. À primeira vista, o médico achou tudo fanfarronice. Só reviu os conceitos após ler “The natural art of seduction”, livro de 240 páginas escrito por Gambler no mesmo ano em que abriu sua empresa. O negócio parece mesmo ser bemsucedido, em todos os sentidos. Além do faturamento, Gambler, que tem 4.900 amigos no Facebook, já declarou que beijou 200 mulheres, fez sexo com cem e namorou três “seriamente”.

— O trabalho do Gambler visa a desenvolver um estilo de vida para o cliente através da inclusão de hábitos positivos, realização de vontades suprimidas e elevação da autoestima — teoriza Guilherme. — Quando você faz um curso legal, ou cria novas amizades, está fazendo um investimento pessoal. A atração é um efeito que provoca nos outros por ser interessante.

Como se vê, o médico é o responsável pelo embasamento teórico do curso, que dura um fim de semana. Além da palestra introdutória, o pacote inclui consultoria em duas idas a boates, uma na sexta-feira e outra no sábado, e exercícios diurnos em shoppings para incrementar o approach, nas tardes de sábado e de domingo. Cada um paga suas entradas e o que consumir, mas é bom ressaltar que beber pouco (ou quase nada) é um dos primeiros conselhos de Fênix. Para ele, o aluno tem que enfrentar o medo de chegar numa mulher de cara limpa.

Antes de acionar o grupo da semana passada e seguir para uma boate na Lagoa, Fênix faz um apanhadão geral com truques de “linguagem corporal” (não vale ficar com a mão no bolso), “ansiedade de aproximação” (há um jeitinho especial de andar devagar “como se estivesse caminhando numa piscina”) e “habilidades sociais” (é bacana cumprimentar o segurança, o DJ e a até a senhorinha que faz a limpeza da boate). Tudo é falado num dialeto próprio (vide o glossário abaixo).

As manhas de Fênix cativaram Gambler, que não pensou duas vezes em fechar uma parceria.

— Passamos dois meses juntos, e ele se mostrou competente desde o início. Estou muito feliz com nosso time brasileiro — diz Gambler, em entrevista por email de Moscou, onde estava atendendo à clientela russa.

No PUA Training à moda brasileira, frases feitas foram vetadas. Para ninguém ficar conhecido por uma lábia padronizada noite afora, os instrutores sugerem que os alunos não anotem exemplos no caderninho, como uma receita de bolo.

— Estamos abrindo a caixa de ferramentas. Agora vocês precisam montar o cinto do Batman com os aparatos para cada um enfrentar a sua guerra particular — afirma Guilherme.

Para os que ficam sem palavras diante de uma linda mulher, Fênix ensina tipos de abordagem sutis, consideradas de menor risco. São simples gestos como fazer um brinde ou dar uma piscadinha. Nesse momento, o caçula da turma faz cara de espanto.

— Pode dar piscada? Pensei que isso fosse old school — indaga o mineirinho bem-vestido, de 19 anos. Guilherme, sempre alerta, explica:

— Dar uma piscada com um sorriso é legal. A ideia é provocar uma reação, ser preaceito pela mulher.

Um dos alunos que já sabe se fazer preaceito pela mulherada é o maranhense Artur Alencar Moreira Lima, de 21 anos. No fim de semana passado, o estudante estava todo serelepe em seu segundo curso, também chamado de bootcamp (imersão, ou treinamento de guerra).

— O treinamento mudou a minha vida. Antes eu virava amigo de todas as meninas que se aproximavam de mim, agora estou num relacionamento enrolado com uma modelo de Brasília — conta Artur.

Ir para a balada sem grandes pretensões é um dos ensinamentos básicos para ser um PUA.

— Quando você vai para a pelada com amigos com a ideia de ser artilheiro, mesmo sendo um craque, a chance de se dar mal é grande. Mas se sai de casa com as chuteiras embaixo do braço querendo se divertir e depois tomar um chope para falar besteira, o placar do jogo será consequência — explica Guilherme. — Beijar mulheres tem que ser uma consequência.

Por falar em placar, nos dois dias de treinamento, que também passou por uma festa no Morro da Urca, os dez alunos tiveram um aproveitamento de 60%. Os que não beijaram, porém, conseguiram trocar contatos com pretendentes via Facebook na hora, usando seus smartphones.

Fênix acompanhava os alunos de longe, junto de outros dois instrutores recrutados por ele: Phillipe Freitas, de 22 anos, e Bruno Giglio, de 30. Vez ou outra, Fênix precisava acionar os alunos, discretamente, pelo celular.

— Às vezes, preciso mandar uma mensagem de texto falando para o aluno ir para o lado da menina e conseguir fazer o isolamento, tirando-a do campo de visão das amigas, que ficam fazendo sinais de “não”. Isso atrapalha — explica.

Se mesmo assim não der cero, eles ensinam os alunos a nunca serem “reativos”. Ou seja: se levar um fora, não vale debochar, nem bater boca.

— Se a gente chega numa mulher e ela é mal-educada, paciência. Já parou para imaginar como foi o dia dela? Seu namorado pode ter virado gay! Por que vamos absorver essa culpa e nos sentir mal se ela não quis ter o prazer de nos conhecer? — diz Phillipe. — Você não precisa correr atrás de mulheres para ter uma vida. Você tem que ter uma vida que atraia as mulheres.

Aula de pegação
[O Globo - Revista O Globo - Seção: Comportamento pág. 12 - 22/5/2011 - por Joana Dale / fotos: Gustavo Pelizzon]

6 Comentários + Adicionar Comentário

  • Gostaria de receber + informação do dvd. Parabéns pelo trabalho

  • Cara, muito bom, Gambler é o cara, mais como já dito Mystery e o Jungler pra mim são os percursores…

    Mesmo assim se não fosse o Puabase, e o nosso amigo Gambler a ideia talvez não tivesse se propagado por aqui… E Meritos do Doc e do Fênix também… Boa matéria, não conhecia a história do começo desses caras… Quem sabe um dia eu não faço esse curso!!!

  • Muito bom o trabalho desses caras aee..Mas quem realmente criou essa loucura toda,,,e que muitas é “esquecido pelas pessoas´´,e que não recebe o verdadeiro reconhecimento é o Mystery,,,Foi o Mystery,,,,estrela do livro O Jogo,,best seller americano,,escrito pelo autor e personagem do livro,,Neil Strauss,,que segundo ele,ficou cerca de 10 anos pra criar e aperfeiçoar os metodos de sedução,do modo conhecido como indirect,,Mystery é sem duvida nenhuma um INCONE no mundo da sedução,hoje nos EUA,ele realmente é um artista,,,gosto muito do Gambler,,,,mas se você lê um livro dele,,ele mesmo diz que comprou o livro,,O Jogo,,e apartir dai começou a mudança de vida…..parabéns,a todos pelo sucesso do PUA Traing!!!

  • Adorei a reportagem na revista,me enteressei bastante sobre o assunto,faz tempo que nao via um assunto que envolve diretamente o homem em si…aguardo ansioso pelo livro!

  • Quando o livro estará disponível para venda ?

  • legal,,quero aprender .como faço pra adiquirir o dvd,,valeu um abç.

Deixe um comentário

Agenda

julho 2017
S T Q Q S S D
« dez    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31