CAPÍTULO 22

Lucius segurou minhas mãos outra vez e, ainda que, no decorrer da cerimônia, eu tivesse ficado consciente dos convidados ao redor, todo mundo pareceu sumir de novo, como se Lucius fosse um mágico capaz de convocar e dispensar multidões ao seu bel-prazer. Naqueles olhos profundos e negros havia espaço suficiente para esconder todo um jardim e muitos outros truques maravilhosos também, eu tinha certeza...

– Beije-me, minha esposa – disse ele baixinho, rompendo o protocolo ao falar. Mas àquela altura nenhum de nós se importava mais com o decoro.
– Beije seu marido.

Os olhos dele ainda estavam cheios de amor, mas também havia malícia – uma das características de Lucius de que eu mais gostava – quando ele deu um passo na minha direção. Eu me peguei sorrindo, quase gargalhando, dominada por uma alegria que ficava guardada no fundo, bem no fundo de mim e que eu experimentava em silêncio, mas que de repente borbulhou livre, não podendo mais ser controlada, ao som da ordem provocante de Lucius.
 
Beije seu marido...

Ele chegou mais perto ainda, encostando seu corpo alto e forte no meu, e passou o braço pela minha cintura, me puxando. Inclinei a cabeça para trás a fim de encará-lo e, no último segundo antes que seus olhos se fechassem, vi a malícia provocante ser substituída por uma promessa solene. Meu riso sumiu também enquanto ele subia as mãos e segurava meu rosto, virando-o para sussurrar no meu ouvido, os lábios roçando a pele enquanto dizia:

– Eu te amo mais a cada instante, Antanasia. E isso é só o começo.

Com lágrimas brotando nos olhos, deixei que Lucius virasse meu rosto de volta para ele e encostasse a boca na minha para nos beijamos pela primeira vez como marido e mulher – um beijo que resumia tudo que tínhamos vivido juntos. O nervosismo, a expectativa, a visão arrebatadora do outro e o espanto com o momento em que nós dois soubemos que éramos um só.

Ele pressionou os lábios com mais força contra os meus, que se abriram só um pouquinho, o bastante para que um saboreasse o sangue restava na língua do outro e para que eu sentisse que os caninos dele estavam começando a crescer, assim como os meus.

Então, como não estávamos sozinhos, recuamos, e Lucius encostou a testa na minha, nós dois sorrindo de novo. O beijo meio que continuou nos nossos olhos, mais particular, com a promessa de tudo o que viria. Foi quando alguém – provavelmente Mindy – começou a aplaudir.

Site Meter